Principais dúvidas sobre óleos essenciais - Parte II - Blog Aromahelp

Principais dúvidas sobre óleos essenciais – Parte II

No nosso primeiro post sobre as principais dúvidas sobre os óleos essenciais, nós vimos que, sempre que quisermos fazer um tratamento mais profundo, não necessariamente você precisará passar óleo no corpo todo. Uma boa massagem nos pés, por exemplo, já tem esse impacto.

Colher os benefícios energéticos está relacionado também com o lugar que a gente aplica. Um bom exemplo é colocar uma gotinha de óleo essencial de hortelã pimenta em 10ml de óleo vegetal, que é um carreador, deixar em um roll-on e aplicar sempre no centro da testa. Isso serve para quando você estiver com muita confusão mental ou estiver muito estimulado.

As pessoas podem ficar na dúvida: mas o óleo de hortelã pimenta não é super estimulador?

Sim, ele é um óleo de limpeza, enérgico, não sendo relaxante, que te faz dormir. Mas quando aplicado no sexto chakra, que é o nosso centro mental, justamente por ser um óleo de limpeza, acaba tendo outras reações como desanuviar a mente, relaxar e acalmar. Isso acontece porque sua mente fica mais organizada e, consequentemente, mais calma.

Então, para fazer um bom uso dos óleos essenciais, é importante nós identificarmos o que causa as coisas que nós estamos sentindo e que queremos transformar com a ajuda deles.

Se faça as seguintes perguntas: qual é o seu tipo de cansaço? De onde vem a sua dor de cabeça? Por que você está tenso? É raiva? É medo?

É possível se viciar em óleos essenciais?

Não tem como a gente se viciar quimicamente nos óleos essenciais. O que pode acontecer é uma pessoa ficar dependente de um estado emocional, mas não de forma ruim. O óleo essencial não cria realidades para você, ele não fará que você veja ou seja coisas que não é.

Os óleos potencializam aquilo que já existe em você e que muitas vezes está oculto pelos problemas do dia a dia, por pressões ou por medos.

Quando a gente sabe que é hora de parar ou de continuar?

Conforme você utilizar os óleos, chegará um momento em que você sentirá que as coisas se estabilizaram.

A sua parte que é descoberta ou estimulada com a ajuda dos óleos essenciais acaba sendo permanente, mesmo sem o uso deles.

Uma dica é: vá com calma.

Quando nós começamos a pesquisar sobre óleos, queremos usar todos de uma vez. Mas se você tentar usar todos eles de uma só vez, acabará não usando nenhum, porque vai ser estímulo demais e você não vai entender nada. Além disso, os óleos não vão funcionar perfeitamente, pois alguns deles podem até cortar ou modificar o efeito do outro.

Vale entender cada óleo na sua profundidade.

O modo como os óleos são feitos prejudica o meio ambiente?

Para fazer óleos essenciais, a quantidade de matéria prima usada é imensa. Por isso, é imprescindível o controle do uso.

Então, as plantações que dão origem a esses óleos essenciais não são simples e não podem ser feitas de maneira caseira, justamente porque precisa-se de uma quantidade muito grande de matéria prima e um controle mínimo dos quimiotipos para que possa se entender que tipo lavanda está sendo plantada, por exemplo.

Há uma preocupação com a maioria dos agricultores de sempre fazer rodízio no solo, para que ele não perca as vitaminas. Isso acontece porque, se você planta a mesma coisa por muito tempo, o solo vai perdendo algumas propriedades.

Então, é necessário que se faça todo esse controle de solo e da qualidade de terra para que o óleo essencial tenha todos os benefícios.

Estão curtindo a série de dúvidas? Comentem aí!

Compartilhe:

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos Relacionados

Óleo Vegetal de Açaí

Benefícios para a manutenção do equilíbrio da pele e dos cabelos é tudo de bom, né?! Então você precisa conhecer o Óleo Vegetal de Açaí!

Aromaterapia para adolescentes

As terapias alternativas fazem bem à saúde independentemente da idade, por isso hoje vamos falar um pouco sobre a aromaterapia para adolescentes.  A Aromaterapia é

Óleo essencial de Olíbano

O óleo essencial de olíbano, também chamado de óleo essencial de incenso, é extraído da resina de árvores do gênero Boswellia. O uso deste óleo remonta a